Gartner vê futuro da segurança da informação como “corrida armamentista permanente”

Por Higo Ribeiro | Aug 17, 2011 - 19:38

Joseph Feiman, vice-presidente de pesquisas da consultoria, acredita que, enquanto empresas reforçarão seus sistemas, hackers sofisticarão seus ataques

Um jogo de gato e rato. Mais ou menos dessa forma será o futuro da segurança da informação na avaliação do Gartner. Em outras palavras, significa que para cada ataque malicioso será necessário uma nova solução que o bloqueie, e, do outro lado, para todo antivírus criado, uma nova brecha virtual tentará ser explorada por criminosos.

Joseph Feiman, vice-presidente de pesquisas da consultoria, mostra um slide com uma análise SWOT definindo quatro cenários prováveis para a questão. No quadrante otimista, denominado como “nirvana”, as empresas vencem a batalha; no pessimista, chamado de “caos” é exatamente o contrário: vitória dos hackers.

Nos espaços da matriz tidos como mais prováveis, há uma hipótese de que a segurança torne-se componente integrante básico de equipamentos e sistemas. Mas a crença do especialista é aquela mesma descrita no primeiro parágrafo do texto e revela um movimento quase físico de ação versus reação.

“Somos testemunhas de uma mudança. Hackers, agora, estão em seus laboratórios, como cientistas, trabalhando durante meses para lançar ataques direcionados e que revertam resultados financeiros”, diz, repetindo o velho chavão de quando os crimes virtuais eram algo mais inocente, como pichar sites, por exemplo.

Feiman lembra ainda que empresas não devem esquecer das ameaças internas direcionadas a seus sistemas. “Esse é um segundo ponto muito importante para considerar sobre a questão”, aponta.

Fonte: http://crn.itweb.com.br/28802/gartner-ve-futuro-da-seguranca-informacao-como-corrida-armamentista-permanente/

<Voltar